Mídia programática: como usá-la em seu negócio?
Entenda como funciona a mídia programática, suas vantagens e saiba como implementá-la em suas campanhas de marketing.
Por A2C

Acelere. Colabore. Transforme
Compartilhe:

Entenda como funciona a mídia programática, suas vantagens e saiba como implementá-la em suas campanhas de marketing.

A compra de mídia online vem passando por grandes transformações. Se antes era necessário entrar em contato com site por site para negociar valores de exibição de anúncios, hoje já é possível comprar e vender espaços publicitários na internet por meio de plataformas digitais — e sem a negociação individual.

Essa forma automatizada de compra de mídia é o que chamamos de mídia programática. Uma das estratégias que está transformando o modo como as empresas anunciam e segmentam, tornando esse processo mais eficiente.

Hoje em dia, investir em publicidade digital não é mais uma opção. É preciso usar os diversos canais do ambiente digital para se comunicar com as pessoas certas no momento certo. Para isso, é fundamental compreender essa modalidade de compra de mídia.

Se você quer ter resultados melhores com os seus anúncios, este artigo é para você. A seguir, entenda o que é mídia programática, como ela funciona, as vantagens que pode trazer ao seu negócio e saiba o que é preciso para usá-la.

 

O que é mídia programática?

A mídia programática é um novo modelo de aquisição de espaços publicitários online. Com ela, é possível comprar anúncios em diversos birôs de mídia de forma mais rápida, eficiente e com custos menores.

O que diferencia esse formato da aquisição de mídia tradicional é que a compra é feita através de softwares, em leilões em tempo real, e já selecionar o perfil do público para o qual os anúncios serão exibidos. O valor dos anúncios não depende apenas do canal em que eles estarão, mas das pessoas que serão alcançadas.

O acesso aos dados pessoais dos usuários pode colaborar bastante para a elaboração de boas campanhas de marketing. Porém, com a criação da Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD), nova lei de privacidade, proteção e tratamento de dados pessoais, todas as empresas que estão no território nacional precisam prestar atenção às mudanças que devem ser feitas nos processos de coleta e uso das informações dos consumidores.

Pela internet o comprador pode controlar todo o processo, realizando a segmentação do seu target, fazendo o upload das peças que serão exibidas e dando lances no leilão em que os espaços são ofertados. Ou seja, diversas tecnologias são usadas com o objetivo de trazer os melhores resultados para as campanhas. Por contarem com uma série de automações, o processo se torna muito mais ágil.

 

Como funciona esse processo?

Você já sabe que a mídia programática é a compra automatizada de espaços publicitários online. Mas como funciona esse processo?

Em primeiro lugar é preciso entender que os algoritmos têm um papel muito importante para a otimização das campanhas. Isso porque eles analisam o comportamento de quem visita as páginas com os anúncios. Com informações sobre o público, é possível entregar as peças mais adequadas para pessoas que se interessam por elas — ou seja, a probabilidade de conversão é maior.

Resumindo, as informações obtidas pelos algoritmos permitem que o anunciante, também chamado de advertiser, consiga segmentar a sua campanha com mais precisão. 

Se uma página tiver um espaço destinado à publicidade programática, ele pode ser oferecido em um mercado de anúncios pelos publishers, ou veículos, em português. Vamos supor que alguém fez uma busca na internet e visita um site com um espaço configurado para publicidade programática.

Enquanto o site carrega, esse espaço se torna e para comprar mídia em plataformas digitais, há outras vantagens de apostar nessa tecnologia. A mídia programática oferece diversas possibilidades para as estratégias de marketing digital que não existiriam se os anúncios fossem exibidos de maneira tradicional, além de um preço que pode ser muito competitivo.

A seguir, conheça os principais benefícios da compra de mídia programática:

Performance

Como você já sabe, a mídia programática tem um alto poder de segmentação. Com o auxílio da tecnologia ela consegue selecionar com precisão as pessoas que terão acesso ao anúncio e colocá-las em contato com peças que serão realmente do seu interesse.

Chegar até as pessoas certas na hora certa é o que aumentará o índice de conversão e permitirá que a empresa tenha resultados melhores com a campanha.

Conheça o conceito de Brandformance da A2C.

Escalabilidade

Com a mídia programática não é preciso negociar com veículo a veículo para veicular anúncios. Em um leilão é possível avaliar as oportunidades, escolher as melhores delas e comprá-las rapidamente. Isso só é possível porque a compra acontece via ad networks, redes de publicidade que possuem o inventário disponível de diversos sites. Além disso, a compra não considera apenas os espaços em que as peças serão exibidas, mas também o número de pessoas que terão acesso a ela.

Flexibilidade

A mídia programática permite que o anunciante monitore a sua campanha de forma bastante eficaz. Sabendo do número de visualizações, de cliques e de leads gerados por um anúncio é possível saber se ela está com um bom desempenho ou se é preciso fazer ajustes.

Com essa tecnologia, é possível otimizar uma campanha enquanto ela ainda está em andamento. As informações fornecidas por máquinas e algoritmos permitem que os anunciantes façam alterações no perfil do público, nas verbas e até nas peças exibidas para alcançar o sucesso. 

Custo

O valor das campanhas não considera apenas o local em que elas são veiculadas, mas também a impressão que elas recebem. Isso significa que o valor para anunciar pode variar bastante, dependendo dos objetivos de cada empresa. Por exemplo, é possível comprar mídia pensando em um número de impressões ou em um orçamento mínimo.

Veja como dados podem guiar sua estratégia de marketing.

 

Paris Filmes: compra de mídia programática como estratégia criativa

A Paris Filmes, principal distribuidora de filmes do Brasil, é uma empresa que usa a capacidade de segmentação precisa da mídia programática para fazer campanhas bem direcionadas e criativas.

Com o auxílio da A2C, a campanha do filme Turma da Mônica Laços, contou com criativos que atrelava a imagem dos personagens a temática dos sites.

Por exemplo, os criativos em que o Cascão aparecia, foram veiculados em sites de clima e previsão do tempo —  devido à capacidade de geotargeting das plataformas. Com a grande precisão de segmentação da mídia programática, conseguimos entregar anúncios de acordo com a previsão do tempo do local do receptor. Isso porque o uso da geolocalização do mobile permitiu que os criativos fossem exibidos apenas para quem estivesse em locais com previsão de chuva. A mesma estratégia foi usada para os criativos com a Magali, fechado apenas para sites de receitas e culinária em que o target da empresa estivesse presente.

O resultado foi um aumento expressivo na taxas de cliques, que estavam bem acima da média e o trabalho do awareness de forma mais efetiva. Mas como colher todos esses benefícios? Veja a seguir.

 

Como usar a mídia programática?

Hoje, já existem várias empresas que trabalham com a mídia programática. Apesar dessa tecnologia ter evoluído bastante nos últimos anos, não são todos os profissionais de marketing que sabem como utilizá-la. Além disso, ela oferece muitas possibilidades, e é preciso escolher a melhor delas para ter uma campanha de sucesso.

Quer começar a fazer usar a mídia programática? Veja algumas dicas para obter os melhores resultados abaixo.

 

Tenha um objetivo

Pode parecer uma dica óbvia, mas ter um objetivo claro é fundamental para montar uma campanha que traga os resultados buscados pela empresa.

O seu objetivo é capturar mais leads? Oferecer um produto ou serviço específico? Convidar o público para conhecer um espaço físico? A mídia programática pode ser sua aliada em todos esses casos, mas é preciso saber o que esperar dela para apostar nas melhores estratégias

Escolha os canais mais adequados

Como você já sabe, a mídia programática oferece diversas possibilidades. Campanhas em vários formatos — vídeo, imagem, áudio — podem ser exibidas em diferentes canais — celulares, computadores, aplicativos, redes sociais e sites. Cada formato tem vantagens e desvantagens, por isso é importante estudá-los bem antes de começar a montar uma campanha.

Monte a campanha

Com o objetivo e os formatos definidos já é possível montar a campanha. Para isso, além de conhecer o seu público e ter peças que despertem o interesse dos seus potenciais clientes, é preciso ter uma boa página de destino ou landing page, que tenha um bom design, seja intuitiva e leve o usuário para o local certo.

Faça uma boa segmentação

Com a mídia programática é possível ter acesso a uma grande quantidade de dados sobre o público. Com essas informações é possível direcionar as campanhas para as pessoas certas e aumentar as chances de conversão e venda. Use as fontes de dados disponíveis para selecione os usuários com perfil que se encaixe no seu objetivo. 

Monitore a campanha

A compra de mídia automatizada fornece muitas métricas sobre a campanha, permitindo que você acompanhe o seu desempenho e faça ajustes em tempo real. Por exemplo, uma empresa pode imaginar que seu público principal são jovens adultos, mas descobrir nas campanhas programáticas que são, na verdade, adolescentes.

Acompanhe esses dados, interprete-os e faça ajustes em sua estratégia sempre que for necessário.

 

Embora a mídia programática seja uma tecnologia relativamente nova, ela já é usada por muitas organizações — e a tendência é que seu uso aumente cada vez mais. Quer potencializar as suas campanhas online? Baixe o nosso Glossário de mídia programática e descubra tudo o que você precisa saber sobre esse assunto!

 

Compartilhe:

RECEBA
NOVIDADES
DA A2C

E-mail cadastrado! Aguarde nossas novidades.