LGPD no marketing digital: como adequar sua estratégia?
Entenda como funciona a LGPD no marketing digital e saiba como ela impacta o seu negócio. 
Por A2C

Acelere. Colabore. Transforme
Compartilhe:

A Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD) é a nova lei de privacidade, proteção e tratamento de dados pessoais. Baseada no General Data Protection Regulation (GDPR), o Regulamento Geral de Proteção de Dados da União Europeia, ela tem como objetivo garantir a privacidade de dados pessoais dos usuários e tornar processos e transações mais transparentes.

Essa lei prevê uma série de restrições para a coleta e o uso de dados pessoais — que podem afetar, de forma significativa, as estratégias de marketing e vendas.  Ou seja, se a sua organização processa informações de usuários no Brasil, precisa se adaptar à lei o quanto antes.

Tem dúvidas sobre como a sua organização precisa atuar? Neste artigo, entenda tudo sobre o impacto da LGPD no marketing digital e saiba como a A2C pode ajudar a sua empresa em todas as etapas dessa adaptação, que deve unir planejamento, estratégia e tecnologia.

Como funciona a LGPD?

A Lei Geral de Proteção de Dados estabelece regras para a aquisição, o manuseio e o uso de dados pessoais por organizações — seja por meios digitais ou analógicos, on e offline. Ela altera o Marco Civil da Internet com o objetivo de aumentar o controle e a segurança de dados pessoais e o poder das entidades reguladoras que fiscalizam organizações nesse sentido.

A LGPD abrange todas as empresas do território nacional, de todos os portes e setores, bem como as organizações com sede no exterior que oferecem serviços ou realizam operações envolvendo captação de dados dos usuários no Brasil. Ela entrará em vigor em agosto de 2020 e deve ser cumprida por todas as organizações que processam informações pessoais coletados no Brasil.

Assista nosso webinar sobre sobre sanções por inadequação na LGPD.

Por que você deveria se preocupar com a adequação?

Segundo o estudo Predicts 2019: The Ambiguous Future of Privacy (O Futuro Ambíguo da Privacidade, em português) do Grupo Gartner, “os requisitos de privacidade afetam drasticamente a estratégia, a finalidade e os métodos de uma organização no que se refere a processar dados pessoais.”

Ou seja, empresas de diversos setores e de todos os portes terão que reavaliar a forma como coletam e usam informações das pessoas. Para que você entenda a abrangência das novas regras, todas organizações que têm sites com formulários, cadastros para login e compra, por exemplo, precisarão fazer adequações na sua captação de dados.

Quem não estiver de acordo com a nova lei corre o risco de receber multas de até R$50 milhões por infração, além disso, podendo resultar em sanções como advertências, suspensões e até proibições parciais ou totais do exercício de suas atividades.

LGPD no marketing digital: quais são os riscos e as oportunidades?

Na era do Big Data e da Inteligência Artificial, o acesso à informação e a disponibilização de dados é cada vez maior. Os dados se tornaram uma matéria-prima para o marketing, e diversas estratégias dependem cada vez mais das informações dos usuários para serem desenvolvidas, como inbound marketing, marketing de conteúdo e campanhas bem segmentadas.

Porém, à medida que as organizações têm mais informações à disposição, a preocupação com a segurança das informações concedidas às organizações também aumenta. Por isso, a consolidação das leis de proteção de dados pessoais, com requisitos mais rigorosos, se tornou uma demanda mundial.

Nesse contexto, os profissionais de marketing precisam estar atentos a quais dados estão coletando e adequar suas políticas de privacidade e termos de uso e usa-la como oportunidade de se destacar no mercado. As empresas brasileiras que saírem na frente conquistarão mais confiança, credibilidade e, consequentemente, mais clientes fiéis e dispostos a consentir o uso de seus dados. 

Mas afinal, o que é tratamento de dados?

Para a LGPD, todas operações que envolvem o uso de dados referente a informações pessoais — como informações de contato, localização, número de IP e informações comerciais — são consideradas como tratamento de dados. Para estar de acordo com a nova lei, uma empresa deve fazer suas operações seguindo 10 princípios.

Entenda o que são dados pessoais e exemplos de dados sensíveis.

Saiba quem é quem na LGPD

infográfico com os atores no processamento de dados pessoais

Automação de marketing: como pode ajudar o seu negócio?

E agora, como continuar tratando informações da forma certa para usá-las em sua estratégia? A automação de marketing permite a integração de todos os dados coletados pela sua empresa em sistemas de visualização únicos, que deixam os leads organizados de forma otimizada.

Com o auxílio dessa tecnologia é possível manter suas listas de e-mail sempre atualizadas, identificando com mais facilidade e rapidez as pessoas que autorizaram a sua empresa a entrar em contato com elas. A partir das informações reunidas no sistema você poderá traçar novas estratégias, por isso é muito importante já começar a aplicar boas práticas da na sua automação de marketing.

A lei de privacidade, proteção e tratamento de dados trará grandes impactos às empresas, exigindo a revisão de todas as práticas que envolvem coleta informações de usuários. Com a LGPD no marketing digital, é necessário tornar os processos mais transparentes e acessíveis para o titular, permitindo que ele tenha mais controle sobre a privacidade dos seus dados.

Quer adequar a sua estratégia de marketing ao LGPD? A A2C está preparada para ajudar você nesse processo. Fale com um de nossos especialistas!

Compartilhe:

RECEBA
NOVIDADES
DA A2C

E-mail cadastrado! Aguarde nossas novidades.