Como a busca por voz está mudando o SEO?
Entenda como funciona a busca por voz e saiba como adaptar a sua estratégia de SEO para a era das tecnologias centradas em áudio
Por Eder Queiroz

Analista de ROI
Compartilhe:

Quando falamos sobre SEO, pensamos logo em textos otimizados para a web. Afinal, não basta produzir um conteúdo, é preciso que ele seja encontrado pelos mecanismos de busca, não é mesmo? Mas e quando as pesquisas são feitas por voz?

Embora muitos usuários tenham o hábito de digitar palavras para fazer uma pesquisa na web, a pesquisa por voz é uma tendência que está tornando cada vez mais comum. Segundo o O Gartner Group, empresa líder em consultoria e pesquisa sobre tecnologia, até 2020, 30% das sessões de navegação serão realizadas sem uma tela. Isso significa que não é necessário usar as mãos e os olhos para navegar. As pessoas podem usar novas tecnologias de reconhecimento de falar, como os assistentes pessoais Google Home e o Amazon Echo, para fazer pesquisas enquanto realizam outras atividades.

Com o aumento da busca por voz, a forma como os mecanismos de busca encontram respostas para as questões dos usuários acaba sofrendo alterações significativas. Neste artigo, entenda como essa mudança de comportamento do usuário pode impactar o SEO e saiba o que você pode fazer para tornar seus conteúdos melhores.

 

Entenda as pesquisas por voz

Alguns anos atrás não imaginávamos que os computadores poderiam ouvir vozes humanas e compreender as necessidades ou dúvidas das pessoas. Porém, pesquisa por voz agora já é uma realidade.

Com smartphones e assistentes pessoais é possível fazer pesquisas e até realizar tarefas enquanto fazemos outras atividades. Por exemplo, enquanto uma pessoa lava a louça ela pode descobrir a data de um show que pretende assistir ou comprar um produto novo.

Quando os usuários usam o microfone do Google Assistant — comando de voz “Ok Google” para ativar a pesquisa ou outros serviços com comandos de voz, eles procuram respostas diretas para as suas perguntas — que costumam ser bem diferentes das que digitamos nas caixas de pesquisa dos motores de busca.

Nesse contexto, em vez de considerar somente as palavras-chave escritas pelo usuário, os buscadores também precisaram aprender a entender a intenção do usuário a partir da sua fala. E isso muda a forma como as técnicas de SEO de pesquisa são usadas para que os conteúdos conquistem um bom posicionamento.

Saiba como usar o SEO nas estratégias de marketing digital.

 

O que muda nas pesquisas por fala

O SEO é um conjunto de técnicas de otimização para sites, blogs e páginas da web. Quando alguém faz uma pesquisa na internet, os motores de busca procuram as páginas mais relevantes, ou seja, as que são mais completas e podem entregar ao usuário o que ele procura. Para isso, eles avaliam uma série de fatores, levando em consideração a palavras-chave, intertítulos, links, entre outros.

Essas regras são usadas para mostrar aos sites de busca, como o Google, que um conteúdo é completo e relevante, permitindo que ele alcance as as primeiras posições nos resultados de pesquisa. Porém, como dito, as pesquisas por voz têm características que as diferenciam bastante das escritas. Por exemplo, elas costumam ser maiores e mais conversacionais.

Para satisfazer o usuários que fazem pesquisa de voz no Google, a empresa fez algumas alterações na forma como os resultados são encontrados. Com a atualização Google Hummingbird, a semântica das pesquisas passou a ser mais valorizada que outros fatores, como as palavras-chave. Por isso, um conteúdo pode ser considerado como ideal para uma pergunta mesmo que não tenha uma palavra-chave correspondente à usada na pesquisa.

Como otimizar os seus conteúdos para a busca por voz

Agora que você já entende como funcionam as pesquisas por voz e como elas demandam o uso de novas estratégias de SEO, conheça algumas mudanças para ficar de olho e otimizar as suas páginas:

Keywords long tail

Em uma pesquisa por voz as pessoas costumam usar keywords mais longas. E como elas falam, serão mais coloquiais em sua busca. Isso significa que, para otimizar uma estratégia de SEO para busca por voz, agora é preciso prestar atenção nas keywords long tail.

Lembre-se de que pesquisas por voz são mais conversacionais do que as consultas por escrito. Se em uma pesquisa escrita o usuário usa termos menores, como “transformação digital empresas”, quando a busca é por fala há mais chances de que ele faça uma pergunta mais completa e em tom mais informal, como “como se preparar para a transformação digital nas empresas?”

Por isso, certifique-se de que você está utilizando o tom de voz adequado.

Posição Zero

Você sabe o que é a posição zero? Muitas vezes, quando fazemos uma busca no Google podemos encontrar, no topo da primeira página, uma caixa com uma resposta menor e mais direta para a pergunta feita. 

Também conhecidos como Snippets em Destaque ou em inglês “featured snippet”, essas respostas também costumam ser usadas por assistentes pessoais e outras soluções por voz, que leem os conteúdos destacados ou os mostram na tela para o usuário.

Ou seja, se você investir na produção de bons conteúdos, completos e que ofereçam as informações que o público procura, terá mais chances de estar na primeira página e ser encontrado pelas tecnologias centradas em áudio.

 

Tempo de carregamento

Não é novidade que o tempo de carregamento do seu site afeta diretamente muitos indicadores de desempenho, como taxa de rejeição e taxa de conversão. Quanto mais as páginas demorarem para carregar, mais pessoas desistirão da navegação

É comum que as pessoas que fazem uma busca por voz estejam com pressa — por isso elas preferem falar em vez de digitar. Além disso, ter um site acessível e que carregue rapidamente é fundamental. Nesse cenário, páginas AMP são uma ótima alternativa.

Dados estruturados

Com a ascensão dos assistentes de voz, os usuários podem fazer perguntas sobre várias coisas. O Google não quer somente retornar um resultado de busca, ele quer tirar as dúvidas dos usuários. Por isso, a empresa lançou recentemente a marcação Speakable, que permite aos editores qualificados marcar as seções de um artigo mais relevante para que eles sejam lidos em voz alta pelos assistentes.

Embora seja um fenômeno recente, a busca por voz pode e já está mudando a forma como pensamos e fazemos SEO. Lembre-se que conquistar resultados com essas técnicas leva tempo, então adapte-se o quanto antes, pois a briga pelas primeiras posições nas páginas de busca tende a ficar cada vez mais acirrada.

Quer saber mais sobre as possibilidades de otimização dos seus conteúdos? Leia o artigo SEO na assessoria de imprensa: por que usar!

Compartilhe:

RECEBA
NOVIDADES
DA A2C

E-mail cadastrado! Aguarde nossas novidades.